07/01/2015

Resenha: Extraordinário

"Agora, esse é o meu segredo. É muito simples. Só se pode enxergar direito com o coração. O essencial é invisível aos olhos"
- Antoine de Saint-Exupéry, O Pequeno Príncipe.

Oláa, como vocês estão? Acreditam que eu ainda não sei como começar a escrever um post? Pois é..

Eu estava com muuuuuuuuita vontade de ler esse livro. Ele foi lançado em 2013... Faz um tempinho, mas mesmo assim eu tive vontade de fazer a resenha desse livro maravilhoso e, principalmente, extraordinário!

Autor(a): R. J. Palacio.
Editora: Intrínseca.
Ano de Lançamento: 2013.
Páginas: 318
5 Estrelas.

Sinopse: August Pullman, ou Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso, ele nunca havia frequentado uma escola de verdade... até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.



-*-*-

August é um menino de 10 anos que nasceu com uma síndrome genética, isto é, uma grande deformação em seu rosto. Desde pequeno ele teve que passar por várias cirurgias para que isso "melhorasse". Por causa disso e de outras diversas coisas, Auggie sempre foi educado pela mãe em casa. 

Ela sugere para que ele começasse a ir para uma escola particular para ver como que era a experiência, aliás, eles está crescendo e não pode se esconder o tempo todo. Caso ele não gostasse, ele poderia para de ir. 

Um novo desafio cresce, que é enfrentar todas as pessoas de seu novo colégio. Ele teme que todas irão olhar de cara feia e irão julgá-lo. E, acreditem, isso é exatamente o que acontece. As crianças o julgam por estar fora de um padrão de normalidade. Mas, aliás, como Auggie diz: “Sabe o que eu acho? A única razão de eu não ser comum é que ninguém além de mim me enxerga dessa forma.”- Página 11.

A parte que eu mais gostei do livro é que uma certa garotinha chamada Summer não se fechou para o Auggie como o resto das pessoas. Ao contrário, ela se aproximou dele ainda mais e, mesmo não estudando na mesma sala, eles sempre sentavam juntos no almoço. Ela enxergou que o Auggie tem um grande coração, o que é verdade.

O que eu achei forte do personagem é que, mesmo tendo apenas 10 anos e sendo novinho, ele já viveu, ouviu e viu coisas o suficiente para ganhar de qualquer pessoa adulta. Ele é um menino corajoso e forte.
Eu gostaria que todos os dias fossem Halloween. Poderíamos ficar mascarados o tempo todo. Então andaríamos por aí e conheceríamos as pessoas antes de saber como elas são sem máscara. - Página 80. 
As frases que envolvem o livro são maravilhosas, dá vontade de mostrar todas mas é meio difícil pois sempre são textos enormes e isso deixa as coisas bem melhores.

O livro é dividido em oito partes, o que foi a melhor coisa que a autora fez, pois assim podemos ver o ponto de vista de cada pessoa diferente. 
August é o Sol... O único corpo celestial que não gira em volta do August, o Sol, é Daisy, nossa cadela, e isso porque, para seus olhinhos caninos, o rosto do August não é muito diferente do rosto de qualquer outro ser humano.- Página 89. (Via, irmã do August)
Eu não sei muito bem o que eu senti quando eu terminei a leitura. Esse livro com certeza me envolveu emocionalmente e intensamente. No começo da leitura eu estava muito devagar, mas conforme as páginas rolavam eu torcia pelo Auggie, torcia para ele enfrentar tudo isso e seguir em frente como qualquer um. Tinha vontade de abraçá-lo e dizer que estava tudo bem, sabe? 
No final do livro dá para ver claramente que o Auggie enfrentou tudo isso e que até as pessoas que antes o julgavam se tornaram amigos dele ♥  Eu simplesmente fiquei emocionada com esse ato. Deixaram a diferença de lado e começaram a o tratar como uma criança normal que ele sempre foi.
"[...]Não precisamos dos olhos para amar, certo? Apenas sentimos dentro de nós. É assim no céu. É só amor. e ninguém se esquece de quem ama."- Página 233.
Acho que esse é um ótimo livro para pensamos bem antes de julgar ou se afastar de alguém pela sua forma física. Nós olhamos e tiramos nossa primeira impressão e já saímos falando mau ou, infelizmente, fazendo piadinhas. Não podemos dizer que não fazemos isso porque, simplesmente... fazemos. E nós podemos evitar pois muitas vezes podemos magoar alguém. Esse alguém, um dia, pode ser eu, você ou qualquer um.

Annielly Cavalcante. Advogada, escritora, perfeccionista, metade anáfora, metade metáfora e uma romântica nata.

Pesquisando algo?

últimas leituras

Queridinhos do mês

Próximas resenhas

1. Gaia, a roda da vida

2. A borboleta, o sonho e o corvo

3. Entre dois mundos

4. Até quando? - Parte 1

5. A caverna cristalina - Vol. 1

6. As vozes da floresta

7. Perseguição frenética

8. Conspiração na Babilônia

9. Quem dá as cartas?

10. O papel de parede amarelo do meu quarto

11. O núcleo da montanha

12. Em busca das borboletas

13. A vida como ela era

14. Nildrien, o pergaminho

15. Noturno

16. O menino feito de blocos

17. Mentes inquietas

18. Boomerang

19. O segredo da Crisálida

20. Curta-metragem

21. 360 dias de sucesso

22. Ecos da Alma

Amorzinhos

Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Copyrights


Todos os direitos reservados - Copyright ©
Conteúdo autoral. Proibido cópia total ou parcial. Plágio é crime!




Tecnologia do Blogger.