14/01/2022

RESENHA: TOQUE DE ALMA




Título: Toque de alma
Autor(a): Keka Lazzarotto
Número de páginas: 160
Sinopse: O momento de nascimento de um bebê é sempre de grande alegria, no entanto, logo após o nascimento, ou até dezoito meses depois, muitas mulheres apresentam sintomas de depressão.

Logo após o nascimento do filho Heitor e Beatriz, ele notou que sua esposa estava transtornada. Como médico, ele reconheceu a depressão pós-parto, assim que ela rejeitou o bebê, embora ela falasse pouco, quando ele tentava conversar sobre o assunto.

Heitor percebeu que Beatriz estava mais quieta do que de costume, mas o cansaço de tantas horas de cirurgia no hospital o deixava prostrado no sofá, quando chegava em casa.

Além da mulher que sofre depressão pós-parto, a família também pode pagar o preço deste transtorno, e foi justamente o que aconteceu com Heitor. Naquela noite, assim que ele chegou em casa, o impacto da surpresa o derrotou por muito tempo, até ele conseguir entender o que tinha acontecido.

''Na época, Heitor aconselhou Beatriz a procurar um psiquiatra, justamente por saber que depressão é uma doença e precisa ser tratada, mas Beatriz não levava este transtorno a sério e costumava tomar remédios que conseguia com os representantes de laboratório que ela conhecia, do tempo em que era secretária no consultório.''

 

Olá, pessoal! Como estão as leituras de início de ano? Trago hoje a resenha do livro ''Toque de alma'', da autora Keka Lazarotto, parceira aqui do blog. Esse livro aborda temas muito fortes e delicados, então desde já deixo os avisos de gatilho de depressão, ansiedade e suicídio. É uma leitura bem importante, inclusive, para ser feita esse mês, já que estamos no Janeiro branco, onde salienta-se a importância de cuidar da saúde mental.


Pois bem, o livro traz a história de Heitor e Beatriz. Beatriz teve uma infância muito turbulenta e triste, sua família começou a sofrer com os problemas de bebida do seu pai, que ficava mais e mais agressivo ao passo em que bebia, chegando até mesmo a bater na sua mãe. Imaginem como fica a cabeça de uma criança presenciando tudo aquilo... Ele faleceu quando a personagem tinha apenas quinze anos e ela era a única que restou para cuidar da mãe que estava em depressão profunda e com perda de memória.


Em razão disso, a personagem parece fria em diversos momentos, mas, como a própria menciona, como demonstrar amor por alguém se ela nunca sentiu isso? Desde pequena que ela apresentava alterações de humor, irritabilidade, sintomas de tristeza e ansiedade, sem deixar de mencionar também o fato de que se sentia mal, rejeitada e culpada, uma misto de confusões. Entendam que quem passa por isso não precisa de julgamentos, precisa de AJUDA!


''Eu sei, mas muitas vezes me sinto ansiosa, como se eu fosse uma estrangeira dentro de mim. Por algum motivo que desconheço, tenho a sensação de culpa e ao mesmo tempo de total desamparo.''


Heitor só descobriu depois que Beatriz tomava remédio para depressão, porque ela escondia isso dele. Fica aqui logo um ponto que faço questão de destacar, desde os primeiros sinais o personagem a apoiou e fez tudo o que podia para ajudá-la e é assim que deve ser, é essencial a rede apoio e a busca pelo auxílio de um profissional apto para isso. Infelizmente Beatriz não aceitava que precisava de ajuda, ela não levava isso a sério e chegava a se irritar quando lhe davam conselhos.


Tudo piora após o nascimento do filho. Heitor, como médico, já reconheceu a depressão pós-parto quando ela rejeitava o bebê, queria se isolar de tudo e todos, estava cada vez mais nervosa e irritada, apresentava confusão mental, tomava remédio escondido, entre outros fatores. 


A escrita da autora é bem objetiva. Ela não enrola e vai sempre direto ao ponto. A leitura flui e é um livro que você consegue ler em poucas horas. Ela tratou do tema com muita responsabilidade e realismo, não dá para mascarar e falar disso de uma outra forma e creio que esse ponto é muito crucial.


Em alguns momentos a Beatriz parecia estar bem, como se tivesse melhorado do nada ou como se nunca tivesse tido algum problema e logo depois tudo volta de novo, porque, na realidade, o problema nunca tinha ido embora. Foi isso também que a autora quis mostrar, não é porque a personagem estava sorrindo e agindo normal em algum momento que ela estava bem, porque ainda que por fora esboçasse um sorriso, por dentro se perguntava se o seu marido ficaria mais feliz sem ela, se ele ficaria mais feliz se ela simplesmente ''saísse de cena''.


O livro mostrou com precisão a mistura de sentimentos que se passava dentro da cabeça de Beatriz, o caos e confusão, e o leitor se sensibiliza em diversas cenas, sobretudo, uma em especial, que eu fiquei totalmente em choque mesmo já sabendo o que iria acontecer (quem leu a sinopse já imagina). Ao invés de criticar ou julgar, a leitura nos mostra que devemos demonstrar empatia. Além disso, toda a família sofre com isso. Quando Beatriz não aceitava nenhum tipo de ajuda, todos sofriam mais ainda.


A única coisa que senti falta foi de saber sobre o irmão da Beatriz, porque no começo do livro mostra que ele foi embora de casa por causa do pai, mas depois não menciona mais sobre ele, ele não tem mais participação nenhuma na vida da irmã. 


Não deixe de cuidar da sua saúde mental, combinado? Não há nenhum problema em pedir ajuda, não é vergonha dizer que está precisando. E lembre-se também, não menospreze uma dor que você não sente. Não diga que é frescura, tampouco aponte o dedo dizendo que é covardia. Faça diferente e seja aquele que estende a mão, é disso que o mundo precisa.


É uma leitura que impacta já na primeira página, estejam preparados. Já leram ou leriam?  

Comente com o Facebook:

16 comentários:

  1. Olá Anni,
    Que premissa sensacional. Não conhecia o livro e achei sensacional abordar de forma tão crua a depressão.
    Sei como ela funciona e é sempre bom lembrar que se trata de uma doença e que precisa de acompanhamento médico.

    Beijo!
    www.amorpelaspaginas.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ray. É exatamente isso. Aborda de forma super realista e chocante demais... E muito necessário.
      É uma doença que precisa de tratamento, precisa ser levada a sério ou as consequências serão gigantescas... como no caso desse livro.
      beijos!

      Excluir
  2. Olá, Anni.
    Ainda bem que hoje em dia as pessoas levam a depressão mais a sério. Lembro do tempo que era considerado frescura e depressão pós-parto era tão comum e demoraram muito a entender a doença. Achei interessante a autora abordar esse tema. Realmente tem gente que acha que está curado porque aprece que melhorou e inclusive deixa de tomar os medicamentos, mas a doença ainda está li.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Sil. Sempre foi dito que era frescura, falta de Deus, ou coisas do tipo. Nunca era levado a sério e ainda há quem diga que é bobagem. O livro aborda de uma maneira muito real. A depressão pós-parto realmente demorou muito pra ser vista com seriedade. O livro também demonstra que alguns momentos sorrindo não significa que a doença foi embora. Muito interessante a abordagem!

      Excluir
  3. Olá
    Não conhecia esse livro, mas possui um tema muito importante, que antigamente quase não era comentado e ainda bem que hoje em dia isso mudou e todos falam mais abertamente sobre o tema.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Exatamente! Muito importante atualmente o tema ser falado, ser mostrado que é uma doença e que precisa de tratamento, porque antigamente todo mundo só dizia que era frescura.
      É muito necessário falar abertamente sobre

      Excluir
  4. Com certeza parece um livro sensível e muito necessário para pensarmos em cuidarmos cada vez mais da gente...

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza! Importante demais cuidar da nossa saúde mental.

      Excluir
  5. Olá!
    Que capa perfeita desse livro e que resenha. Amo livros que retratem essa parte da saúde mental, sempre fico cheia de reflexões. Amei.
    Vou ler com certeza.
    Beijos.


    https://www.parafraseandocomvanessa.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vanessa! A leitura é super forte, mas necessária.
      Retrata com muita realidade.
      Espero que goste!
      beijos

      Excluir
  6. Oi
    não conhecia esse livro, eu tenho duas tias que possuem depressão e tomam remédios e a minha irmã da sinais, mais não aceita tomar remédio, mas aparentemente agora ela está querendo buscar ajuda. Esse é um tema muito importante e que precisa ser falado. Parece uma boa leitura.

    https://momentocrivelli.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Denise.
      É uma situação muito complicada, principalmente quando a pessoa não aceita ajuda.
      Espero que ela busque um tratamento, é necessário.
      beijos

      Excluir
  7. Oi Anni,
    Uma boa leitura e ainda com uma mensagem super importante, hein?
    Não conhecia o livro e sei que pelos gatilhos não é para todo mundo, mas eu super leria!
    beeeijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ale! Leitura super importante mesmo, mas os gatilhos são fortes mesmo.
      beeijos

      Excluir
  8. Eu acho que não leria esse livro, exatamente por conta dos gatilhos. Mas fico feliz que a leitura te foi agradável de certa maneira, e que a autora soube passar a informação correta com os personagens. É um livro necessário, não apenas para o janeiro branco, mas também para o ano inteiro. Saúde mental é caso sério, não é brincadeira nem modinha. Todos precisamos nos cuidar e esse livro pode ser um aviso.
    Bjks!

    Mundinho da Hanna
    Pinterest | Instagram | Skoob

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo totalmente! Os gatilhos são complicados e realmente é uma leitura bem forte.
      Esse livro nos alerta bastante.

      beeijos

      Excluir

Olá, tudo bem?
Anônimo está liberado, seja educado!
Qualquer dúvida e/ou sugestão, você pode entrar em contato comigo através do e-mail dearmasen@gmail.com
Não esquece de seguir o blog ❤
Obrigada!

Advogada, escritora, resenhista crítica literária, embaixadora da Editora Hábito, perfeccionista, metade anáfora, metade metáfora e uma romântica nata.

Encontre no blog

POPULARES

Me siga no instagram

EMBAIXADORA

EDITORAS PARCEIRAS

PARCERIA COM AUTOR

PARCERIA COM AUTOR

Moradores de Masen

Arquivos

PROM DRESSES

Pode falar comigo

Nome

E-mail *

Mensagem *

Copyrights


Todos os direitos reservados - Copyright ©
Conteúdo autoral. Proibido cópia total ou parcial. Plágio é crime!




Tecnologia do Blogger.