17/04/2016

Resenha: Um passado sombrio

Título: Um passado sombrio
Autor(a): Peter Straub
Editora: Bertrand Brasil
Número de páginas: 392
Sinopse: O inigualável mestre do horror e do suspense retorna com um livro poderoso e aterrorizante que redefine o gênero de maneira única e inesperada Em 1966, um carismático e astuto guru, de passagem por um campus universitário do Meio-Oeste norte-americano, reúne um restrito grupo de discípulos, entre estudantes de colegial e universitário de fraternidade, num ritual secreto que resulta em um corpo horrivelmente dilacerado, um garoto desaparecido e as almas abaladas de todos os envolvidos. Quarenta anos depois, um escritor de relativo sucesso e amigo de infância da maioria dos garotos que participaram do ritual – além de marido de uma das garotas envolvidas –, sai em busca de informações sobre essa noite aterrorizante, com um projeto de livro em mente. Porém, para consegui-las, precisará não apenas reencontrar antigos colegas com quem perdeu o contato há décadas, mas também incitá-los a reexaminarem os eventos inomináveis que os têm assombrado desde então. Ao revelar as histórias individuais dos membros do grupo, Um Passado Sombrio eletrifica o leitor de maneira arrepiante e imprevisível – e prova que Peter Straub é, indiscutivelmente, um mestre do horror moderno.
 

''Os três princípios são:
Um. Se algum coisa for de graça, pegue-a.
Dois. As outras pessoas existem para você usá-las.
Três. Nada na terra significa ou pode significar qualquer coisa além do que é.''

Heeey, pessoas! Tudo bem? Tem feriado chegando e isso já me deixa duplamente animada. Vi tantos comentários positivos a respeito desse livro, uma sinopse tão convidativa que lá estava eu caindo em seus braços. Me decepcionei, confesso. Numa escala de expectativas de 0 à 10 ouso dizer que acabei ficando no negativo. Pode uma coisa dessas?

''Um passado sombrio'' é um livro que promete, mas infelizmente não cumpre. Imaginei que ficaria louca com o suspense e sentisse até um básico medinho, contudo, em momento nenhum me deparei com nada que me deixasse ao menos de boca aberta. Tempos atrás um carismático guru conquistou jovens curiosos e os recrutou para um misterioso ritual que havia sido tão planejado - abalando por completo a vida de todos aqueles que ali estavam envolvidos. 

O ritual é envolto por um grande mistério. O que teria acontecido ali para possuir fins tão catastróficos? Lee foi o único dos amigos que não se deixou envolver pela astúcia do guru, muito menos possuiu vontade de participar de tal coisa. Amigo dos participantes, é quarenta anos depois que o escritor resolve trazer tudo à tona e desvendar o caos por trás dos temidos acontecimentos.

''Eu gosto do seu ponto de vista. Mallon transformou o mundo, embora por alguns segundos. É bonitinho. Mas não se esqueça de que as únicas pessoas que Mallon conseguiu convencer foram quatro estudantes de ensino médio, dois idiotas e uma garota que estava apaixonada por ele.''

Eu estava era perdida. Em boa parte da leitura eu tentava compreender o que o autor tinha anseio em passar, mas, na verdade, não passava nada. A leitura demorou a chamar, ao menos que um pouquinho, a minha atenção. A narrativa inicial apresentava falta de conteúdo e isso me deixou de cara bem desanimada - esperei aquela coxinha super recheada e me deram um bague bem seco. Brincadeiras à parte, eu virava as páginas de forma incessante, achando sempre que ''era agora''. Mas nunca foi.   

O livro se passa com Lee indo em busca dos pontos de vistas de todos os seus amigos que participaram do ritual, e cada vez que algo era desvendado, mais tudo ficava confuso. Sabe quando uma explicação é passada e, ao invés de clarear, confunde ainda mais? Foi exatamente isso que senti. Não me convenceu.

O evento misterioso foi macabro, era o que todos diziam. O ritual mexeu com o psicológico de todos eles e a vida daqueles estudantes nunca mais seria a mesma. Que terror, prometeram. Okay, mas o que realmente aconteceu naquele dia?  Cada amigo contava o seu relato e eram tantos personagens com pontos de vistas difusos da mesma história que, se duvidar muito, até eu tinha minha parte para contar.

''Howard me disse: As palavras criam liberdade também, e eu acho que são as palavras que vão me salvar. Impressionante, eu achei, já que num certo sentido foram as palavras que o aprisionaram.''

Um livro que, embora não tenha me convencido nem me causado emoção, possui uma construção interessante dos seus personagens. Cada um possui um olhar diferente da mesma história, isso é óbvio, e a confusão existente em suas mentes é bacana. Lemos a narração e percebemos com clareza a explicação de cada um com um ar de ''vi, ouvi, mas não creio''

''Um passado sombrio'' é dotado de um enredo difuso, uma complexidade que não se permitiu ser bem explicada. Fiquei voando em uma grande parte, espero que com vocês a experiência seja melhor. Não tive o terror que quis, mas desejo que cause o mínimo de medinho em vocês.  Essa é a hora de dizer, o que acharam?

Annielly Cavalcante. 23 primaveras. Acadêmica de Direito, escritora, perfeccionista, louca por anáforas, metáfora pura e uma romântica nata.

Pesquisando algo?

últimas leituras

Queridinhos do mês

Próximas resenhas

1. Gaia, a roda da vida

2. A borboleta, o sonho e o corvo

3. Entre dois mundos

4. Até quando? - Parte 1

5. A caverna cristalina - Vol. 1

6. As vozes da floresta

Amorzinhos

Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Copyrights


Todos os direitos reservados - Copyright ©
Conteúdo autoral. Proibido todo e qualquer tipo de cópia. Plágio é crime!


Se você detém o direito sob quaisquer das imagens aqui postadas, favor entrar em contato.
dearmasen@hotmail.com





Tecnologia do Blogger.